Feras da UPE já podem imprimir cartão informativo do SSA3

Os feras inscritos na terceira fase do Sistema Seriado de Avaliação da Universidade de Pernambuco (SSA/UPE) já podem imprimir, a partir desta quarta-feira (20), seus cartões informativos, exclusivamente através do endereço eletrônico: http://processodeingresso.upe.pe.gov.br.

O candidato deverá acessar o endereço eletrônico e, através do ícone Sistema Seriado de Avaliação, SSA 3, com o uso de seu login e sua senha, imprimir o seu cartão, que contém um conjunto de dados necessários à sua participação no SSA 3 deste ano. A validação da inscrição e a emissão do cartão são de inteira responsabilidade do aluno, como estabelecido no Manual do Candidato.

Havendo divergência de dados pessoais, o candidato deverá entrar em contato com a Comissão Permanente de Concursos Acadêmicos (CPCA) para solicitar as devidas correções. Caso contrário, assumirá, integralmente, os erros contidos no seu cartão informativo. A Comissão da UPE não se responsabilizará pelo candidato que faltar à prova por desconhecer o local de sua realização.

O candidato deverá estar munido do seu cartão nos dias de aplicação das provas, assim como documento de identidade, ou algum outro documento que possua foto e assinatura recentes, e de caneta esferográfica na cor azul ou preta. 

Leia mais...

Prorrogadas inscrições para candidatos a professor dos cursos de Medicina da UPE

A Secretaria de Administração (SAD) e a Universidade de Pernambuco (UPE) prorrogaram as inscrições para candidatos ao cargo de professor auxiliar nos cursos de Medicina da instituição de ensino superior nos campi de Santo Amaro (Recife), Garanhuns e Serra Talhada. As inscrições podem ser feitas de 20 de janeiro a 4 de fevereiro, com a divulgação do resultado da seleção simplificada prevista para 24 de fevereiro.

Inscrições acesse: https://forms.gle/7oLq273o2kHnYqGq8 

Informações sobre o edital: http://www.upe.br/sele%C3%A7%C3%A3o-p%C3%BAblica-simplificada-de-professores-2020.html

Leia mais...

Campanha "Janeiro Verde" alerta para vacinação contra HPV e prevenção contra câncer de colo de útero

Por ano, mais de 16 mil mulheres morrem no Brasil por complicações decorrentes de tumores no colo do útero. Este tipo de câncer é provocado por infecções de alguns tipos do papiloma vírus humano, o HPV. A pandemia do novo coronavírus acabou atrapalhando o trabalho de prevenção e reduzido a busca pela vacina, disponível na rede pública de saúde, para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

O Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), que integra o complexo hospitalar da Universidade de Pernambuco (UPE), participa da campanha “Janeiro Verde”, que alerta para a necessidade de diagnóstico, tratamento e prevenção do câncer do colo de útero.

Médica oncologista do HUOC/UPE, Cristiane Tavares afirma que o câncer de colo de útero é a quarta causa de mortes por tumores malignos no Brasil e os números tendem a aumentar por causa da pandemia de Covid-19, que reduziu a prevenção e a imunização contra a doença. “Vacina e exames de citologia e colposcopia são as armas para erradicar o câncer de colo de útero”, enfatiza.

Assim como ocorre com as vacinas contra Covid-19, a que combate o HPV enfrenta uma contínua campanha de desinformação, apesar de ser extremamente segura e eficaz. “É uma vacina cara, que custa em torno de R$ 600 na rede privada, mas é disponibilizada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Garante que meninos e meninas desenvolvam anticorpos, não antecipa em nada a vida sexual desses jovens”, explica.  

Dependendo do estágio, o câncer de colo de útero pode ser tratado com cirurgia e medicamentos. Em casos mais avançados há necessidade de quimioterapia, radioterapia e histerectomia (remoção do útero).

Fatores de risco são uma vida sexual precoce, o número de parceiros, o não uso do preservativo e o tabagismo. Contato de pele a pele antes mesmo da relação sexual pode configurar contaminação de HPV. Além do colo de útero, o câncer por infecção do papiloma vírus humano pode se desenvolver na área da vulva, canal anal, pênis dos homens e na região da faringe de homens e mulheres.

O HUOC/UPE tem estrutura para exames de prevenção e também para vacinação.

Nova série em podcast da Universidade de Pernambuco aborda saúde ambiental durante a pandemia

Enquanto a vacina não chega para todos, é preciso manter a rotina da pandemia, com isolamento social e cumprimento das regras sanitárias. Manter a saúde em dia também pode representar a adoção de hábitos mais sustentáveis. Iniciativa do Projeto de Extensão UPE Mais Verde, uma série em podcast traz dicas sobre como ajudar a preservar o meio ambiente dentro e fora de casa.

No primeiro episódio de “Saúde Ambiental Durante a Pandemia”,  que foi disponibilizado nesta quarta-feira (20), estudantes de diferentes cursos da Universidade de Pernambuco falam sobre a importância em cuidar das nossas plantas, com orientações sobre como montar uma horta vertical com garrafas PET, como construir uma composteira em casa e como separar e descartar os diversos tipos de resíduos que geramos nas nossas casas.

Os autores são Jessika Gomes (licenciatura em Geografia), Thiago Silva (Administração), Nicolly Magalhães (Ciências Biológicas) e Gabriel Acioly (Ciências Biológicas), com orientação da professora do instituto de ciências Biológicas da UPE Mariana Guenther, que também é coordenadora do Projeto de Extensão UPE Mais Verde. A duração é de 15 minutos. 

Ouça o podcast: https://open.spotify.com/show/1loLRJck1WZlTOz1DXdmdt

Os podcasts integram o projeto PodCast UPE dentro do programa de extensão universitária Conhecimento Solidário, voltado à produção e a veiculação de conteúdo audiovisual para contribuir com a superação da crise provocada pela pandemia do Covid-19 em seus diferentes aspectos. O Conhecimento Solidário é coordenado pela Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proec). Os podcasts podem ser acessados de diversas plataformas. No site da UPE, o endereço é http://www.upe.br/podcast.html.

Profissionais do HUOC/UPE têm imunização garantida contra Covid-19

Oito profissionais do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) receberam, na noite de segunda-feira (18), as primeiras doses da CoronaVac em Pernambuco.

A técnica em enfermagem Perpétua do Socorro Barbosa dos Santos, a auxiliar de farmácia Wanessa Correia, o técnico de laboratório Marcos Alexandre Correia, a enfermeira de UTI Joyce Mendes, o nutricionista Rodrigo Silveira, a fisioterapeuta Thatiana Vasconcelos, a fonoaudióloga Daniele Maria da Silva Oliveira e o médico da UTI pediátrica José Carneiro Leão Filho agora integram o pequeno grupo de brasileiros que terão imunização garantida contra uma doença que provocou mais de 210 mil mortes no país desde o surgimento dos primeiros casos em março de 2020.

Produzida pelo Instituto Butantan de São Paulo em parceria com a fabricante chinesa de medicamentos Sinovac Biotech, a CoronaVac tem uma eficácia geral de 50,38%, o que significa que uma parte dos oito profissionais do HUOC, unidade do complexo hospitalar da Universidade de Pernambuco (UPE), poderá até adoecer, mas não terá sintomas graves que implicariam internação, ida para UTI ou necessidade de oxigênio.

A enfermeira de saúde indígena Penha Atikum, de Carnaubeira da Penha, também recebeu uma dose de vacina na cerimônia realizada pelo governo do estado no auditório Jaime Scherb da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade de Pernambuco (UPE).

"Estou emocionada porque é um momento histórico para mim e para todos. Estamos vitoriosos diante desta situação", ressaltou no seu curto discurso a técnica em enfermagem Perpétua do Socorro Barbosa dos Santos, de 52 anos, a primeira pessoa a receber a vacina contra a Covid-19 no estado.

Nesta terça-feira (19), mais 80 profissionais de saúde do HUOC receberão a vacina. A prioridade neste primeiro lote é para os que atuam nas UTIs.