Pesquisadores de enfermagem da FENSG/UPE desenvolvem estudo sobre cuidados paliativos

Em tempos onde o atendimento médico está em evidência por causa da pandemia de Covid-19, quatro profissionais de saúde da Universidade de Pernambuco (UPE) estão desenvolvendo uma pesquisa que vai colaborar para a sistematização das práticas de enfermagem baseadas em evidência. Os resultados preliminares foram resumidos em um artigo publicado na revista Enfermagem em Foco, do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

O objetivo é identificar, na literatura médica, indicadores de qualidade para aplicação na assistência de enfermagem em cuidados paliativos. Indicadores são métricas  que podem ser expressas por razões, taxas, presença ou não de determinado fator e servem para nortear as tomadas de decisão e gestão de serviços. A partir da coleta dos dados, foram colhidos 159 estudos, publicados entre 2014 e 2018, para leitura e avaliação. 

Os pacientes em cuidados paliativos apresentam sintomas como fadiga, ansiedade, constipação, depressão, náusea, dor, dificuldade de concentração, distúrbio no padrão do sono entre outros. Esses problemas podem ser identificados pelo profissional de enfermagem que está na linha de frente no cuidado e em frequente contato com esses pacientes. O enfermeiro, assim como qualquer outra profissão, necessita de busca e atualização do conhecimento, garantindo uma assistência de saúde baseada em evidências

Existem indicadores recomendados mundialmente e nacionalmente, além de indicadores institucionais e setoriais que são personalizados. Cada serviço deve eleger os indicadores a serem aferidos que tenham papel estratégico no desenvolvimento do serviço.

De acordo com Fábia Lima - pesquisadora, enfermeira, docente da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças (FENSG/UPE), membro da coordenação da pós-graduação lato sensu em paliativos da UPE e do Comitê de Gestão da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP) - a metodologia seguida foi a de analisar fontes secundárias de estudos, sintetizando resultados nas literaturas existentes de forma sistemática, ordenada e abrangente.

Ela desenvolve o projeto em conjunto com os enfermeiros Rafaela Silva, Joicy da Hora e Anthony Gomes, da Residência Multiprofissional em Cuidados Paliativos do Hospital Oswaldo Cruz (HUOC/UPE), juntamente com a professora Deuzany Leão.  

Fabia Lima reforça que o estudo encontra-se ainda na “fase dois”. Os pesquisadores buscarão mais esclarecimentos sobre o tema, incluindo a validação do indicadores. O intuito maior é de melhorar a assistência e poder ofertar um cuidado de qualidade para o paciente e família que representam o maior foco do cuidado.

O artigo “Indicadores de qualidade aplicados na assistência de enfermagem em cuidados paliativos: revisão integrativa de literatura” pode ser acessado clicando aqui.