vídeo-arte de egresso da ESEF/UPE recebe prêmio da Fundação Palmares

Um vídeo-arte interpretado e dirigido por um egresso do curso de Educação Física da Universidade de Pernambuco (UPE) foi premiado no edital Arte do Quilombo, realização da Fundação Cultural Palmares, vinculado ao Ministério da Cultura. ÎANDÉ (que significa “Nós”, no idioma tupi), de Adriano José dos Santos, obteve a segunda maior nota nacional em todas as categorias.

Com 7m46s de duração, foi gravado em setembro de 2020, no município de Aliança, inteiramente por celular e respeitando as normas sanitárias por conta da pandemia de Covid-19. A “cinegrafista” foi a irmã de Adriano, Francielly, que tem 11 anos. ÎANDÉ apresenta, sob uma ótica afro-diaspórica e poética, a importância das pequenas grandes ações que ajudam a perpetuar a cultura negra como um legado para crianças e jovens da Zona da Mata de Pernambuco. 

Adriano, 23 anos, que se identifica com o nome artístico de Adri Popular, concluiu o curso de bacharelado em Educação Física na Escola Superior de Educação Física (ESEF). Espera colar grau neste mês de janeiro, mas sua relação com a Universidade de Pernambuco vai além de ter comparecido às aulas - de forma presencial e depois virtual - no campus de Santo Amaro. Ele ainda é diretor do Agrupe, movimento criado na ESEF em 2014 por estudantes que tinham experiência com a dança clássica e a popular.

Em seis anos, o Agrupe evoluiu de um coletivo de bailarinos para um espaço que oferece aulas gratuitas de dança e oportunidade de estágio curricular, reunindo professores, alunos e servidores da UPE. Por causa da Covid-19, a Semana Academia sobre Dança, evento bianual, foi transferida para 2021. No ano passado, o Agrupe promoveu lives de dança e conversas com profissionais da área. Ari Popular destaca o apoio recebido das professoras Adriana Gehres e Lívia Tenório Brasileiro e espera que o movimento se torne, no futuro, um projeto de extensão da UPE.

Além do esperado diploma em Educação Física, Adri Popular é professor de dança e integrante do Balé Popular do Recife. Atua ainda como coordenador pedagógico da Escola de Frevo Zezé Corrêa, em Aliança, cenário de sua produção premiada. “O mais importante é saber a responsabilidade de passar o conhecimento adiante”, afirma ele no encerramento do vídeo em que se reconhece como artista e como educador que reflete as suas origens.

.be">aqui