Publicado edital para contratação de 163 professores em seleção simplificada

A Universidade de Pernambuco (UPE) recebe, a partir desta terça-feira (29), inscrições de candidatos ao cargo de professor auxiliar. Ao todo, são 163 vagas distribuídas em todos os campi da instituição de ensino superior no estado. Podem concorrer diplomados com pós-graduação que terão a função de desenvolver, por um período inicial de dois anos, atividades de ensino em componentes curriculares de graduação teóricos e práticos. O prazo para encaminhamento dos documentos exigidos termina no dia 12 de janeiro de 2021. Por 30 horas semanais, a remuneração bruta será de R$ 2.093,40. O endereço eletrônico para a inscrição é www.upe.br/concursos.html.   

Os detalhes da seleção pública simplificada foram publicados no Diário Oficial do Estado. Não haverá taxa de inscrição. O processo seletivo para os novos professores terá etapa única, de caráter classificatório e eliminatório, que consistirá na avaliação curricular seguindo barema disponibilizado no DOE. O acesso ao edital completo pode ser feito clicando aqui

O candidato aprovado que não atender a convocação por e-mail no prazo de cinco dias será desclassificado. Das 163 vagas disponíveis, 5% serão para portadores de deficiência, num total de 32.

O número de professores que ingressarão na UPE vai ajudar a reduzir o déficit existente na universidade, segundo levantamento da Pró-reitoria de Graduação (Prograd). O reforço no quadro de docentes será direcionado para 490 disciplinas que atualmente estavam sem titular.

Os novos profissionais começarão a atuar no sistema híbrido (aulas remotas e presenciais) no dia 8 de fevereiro de 2021, quando o primeiro semestre letivo de 2020 será retomado, depois da interrupção provocada pela pandemia da Covid-19.

Informações complementares sobre o certame podem ser obtidas na Comissão Permanente de Concursos Acadêmicos, no horário das 8h às 16h, de segunda a sexta-feira, através dos telefones (81) 3183-3660 ou (81) 3183-3791 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

VAGAS POR CAMPUS

Benfica FCAP - 11

Benfica POLI - 25

Santo Amaro ESEF - 7

Santo Amaro FENSG - 10

Santo Amaro FCM - 9

Santo Amato ICB - 1

Mata Norte - 8

Mata Sul - 6

Garanhuns - 18

Arcoverde - 7

Salgueiro - 1

Serra Talhada - 13

Petrolina - 47

Campus Garanhuns diversifica cursos e qualifica corpo docente

A Faculdade de Formação de Professores de Garanhuns foi criada pelo decreto 1.357 de 28 de dezembro de 1966. Iniciou suas atividades com os cursos de licenciatura curta em Letras, Estudos Sociais, Ciências, História e Geografia.

Em 1991, surge a Universidade de Pernambuco (UPE), incorporando a estrutura da Fundação de Ensino Superior de Pernambuco (Fesp). Garanhuns se torna um campus da nova instituição de ensino superior do estado. A importância acadêmica da cidade do Agreste só fez crescer. O número de cursos se diversificou, incluindo os das áreas de saúde e tecnologia, como Medicina e Engenharia de Software, e o corpo docente acompanhou essa qualificação. Um em cada cinco professores possui o título de doutor. O campus também incorporou cursos de pós-graduação e outros que são oferecidos através de convênios nas cidades de Caruaru, Lajedo, Jataúba e Águas Belas.

Criada em 1995, a Escola de Aplicação Profª. Ivonita Alves Guerra oferece o Ensino Fundamental de 5ª a 8ª séries e o Ensino Médio. O Campus Garanhuns também abriga o cursinho pré-vestibular da Universidade de Pernambuco (Prevupe), chegando a 1,1 mil vagas anuais para alunos carentes que aumentam, desta forma, as suas chances de frequentar a UPE.

O atual Campus Garanhuns da UPE completa, nesta segunda-feira (28), 54 anos de história na formação de professores e pesquisadores, tendo 11 centros de estudos e laboratórios catalogados. 

Catálogo descreve os 163 centros de estudos e laboratórios da Universidade de Pernambuco

A Pró-reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação (Propegi) concluiu a primeira versão do catálogo de laboratórios da Universidade de Pernambuco (UPE). Em 299 páginas, o documento lista os centros de estudos e os equipamentos instalados nos campi e núcleos de Arcoverde (4), Benfica (Recife - 19), Caruaru (5), Garanhuns (11), Mata Norte (23), Mata Sul (1), Petrolina (34),  Salgueiro (1), Santo Amaro (Recife - 40) e Serra Talhada (5). Também foram incluídos o Instituto de Inovação Tecnológica (IIT - 8) e duas unidades de saúde do complexo hospitalar da instituição: o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC - 11) e o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam - 1).

Ao todo, são 163 centros de estudos e laboratórios que integram três grandes áreas de conhecimento: Ciências da Vida; Ciências da Terra, Exatas e Engenharias e Ciências Humanas, Sociais, Letras e Artes. O catálogo descreve as atividades realizadas e identifica os coordenadores com seus e-mails e telefones para contato.

De acordo com o pró-reitor Sérgio Campello, o catálogo de laboratórios é o primeiro passo, como uma meta da UPE, na institucionalização da colaboração em pesquisa. Com a lista, a comunidade acadêmica terá conhecimento dos diversos espaços e capacidades de pesquisa espalhados por todo o estado de Pernambuco. Segundo o reitor da UPE, Pedro Falcão, o objetivo é fazer com que estes serviços estejam ao alcance de pesquisadores parceiros e também da própria população.

Quando tiver a sua versão definitiva publicada em 2021, o catálogo pretende ser um marco na atuação e no reconhecimento da importância da pesquisa na Universidade de Pernambuco. Segundo o texto de apresentação do documento, o objetivo é levar a atuação da UPE “a patamares ainda maiores, incentivando o retorno à sociedade das soluções buscadas incansavelmente pelos nossos pesquisadores”.

Campus Mata Norte tem história em formação de professores e pesquisadores

Criada pelo decreto estadual 1.357 de 28 de dezembro de 1966, a Faculdade de Formação de Professores de Nazaré da Mata teve o seu primeiro vestibular no ano seguinte, já incorporada à Fundação de Ensino Superior de Pernambuco (Fesp). Ao longo dos anos, foi ampliando a oferta de cursos voltados para a formação acadêmica dos moradores de cidades vizinhas.

Em junho de 1991, com a transformação da Fesp em Universidade de Pernambuco (UPE), a faculdade de Nazaré da Mata tornou-se sede do Campus Mata Norte. Dos primeiros 27 professores e 186 alunos matriculados em três cursos, hoje o núcleo regional da UPE tem 83 professores e 1.953 estudantes em oito cursos de licenciatura: Biologia, Matemática, História, Geografia,  Letras Inglês, Letras Espanhol, Pedagogia e Tecnólogo em Logística. Em 1995 foi criada a Escola de Aplicação, que abriga alunos dos ensino fundamental e médio, sendo referência na região.

O hoje Campus Mata Norte da UPE completa, nesta segunda-feira (28), 54 anos de história na formação de professores e pesquisadores, tendo 23 centros de estudos e laboratórios catalogados e o seu primeiro doutor Honoris Causa, o mestre popular Manoelzinho Salustiano.

Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação visita UPE para balanço do ano e projeções para 2021

Fotos: Ailton Pedroza/SECTI

Em visita à Universidade de Pernambuco, o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lucas Ramos, afirmou nesta terça-feira (12) que a UPE deve se preparar para mais desafios em 2021, com uma demanda maior por inovação da parte do poder público e da iniciativa privada. “O próximo ano será melhor. Avançamos em pautas que estavam travadas e a própria pandemia de Covid-19 acelerou alguns processos”, destacou. Ele foi recebido pelo reitor Pedro Falcão, a vice-reitora Maria do Socorro de Mendonça Cavalcanti e pró-reitores.

A UPE completará 30 anos de fundação em 2021 com cerca de seis mil servidores - entre professores, profissionais de saúde e setor administrativo - e 17 mil alunos, incluindo programas especiais.   

“Acredito muito no potencial da UPE”, disse o secretário, que recebeu demandas da reitoria a respeito de dificuldades que surgiram no próprio processo de crescimento da instituição de ensino superior, que conta hoje com oito campi espalhados em todo o estado. O crescimento na oferta de cursos gerou um déficit no quadro de professores. Atualmente, a necessidade é de realização de concurso para preencher 189 vagas.

Uma medida considerada urgente é a reestruturação de um quadro de carreira com recomposição salarial de todos os servidores da UPE. Outro ponto importante é a necessidade do cumprimento da lei que institui a gratuidade na universidade, com a liberação integral dos repasses baseados nos números de alunos.

Lucas Ramos reconheceu a necessidade de atualizar a legislação que criou a UPE em 1990 em função da expansão da instituição em todas as regiões do estado. Ele pediu que a reitoria apresentasse uma proposta para que a secretaria e a universidade encaminhem, no início de 2021, ao governo do estado. Como novidade, o secretário informou que UPE poderá contar, em 2021, com recursos do Fundo Inovar, que poderão financiar bolsas de pesquisa.

Na área de saúde, o complexo hospitalar da UPE conseguiu destaque neste ano na linha de frente ao combate ao coronavírus. Quase mil funcionários foram contratados para reforçar o atendimento às vítimas de Covid-19 principalmente no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC). A universidade também avançou na obtenção de recursos para abertura de futuros novos serviços de saúde, como o setor de radioterapia no próprio HUOC, a Casa de Parto no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) e a hemodinâmica no Pronto-Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (Procape).

O reitor Pedro Falcão, em nome de todos os integrantes do Conselho Universitário, agradeceu a parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, destacando que a intenção da comunidade acadêmica é retornar à sociedade, em forma de conhecimento, o que for investido na estrutura da universidade, que é um patrimônio de todos do estado.