UPE realiza 2º Web Seminário de Sociologia

Crédito da imagem: Fragmento da obra do artivista Mundano, “Preservação ou Morte” (2020),
pintada com acrílica, spray e lama de Brumadinho sobre reprodução da tela de
Pedro Américo "Independência ou Morte" (1888).

 

As turmas do segundo período do curso de Administração da Faculdade de Ciências da Administração e Direito de Pernambuco (FCAP), da Universidade de Pernambuco (UPE), realizam aulas abertas de Sociologia em Web Seminário, sob Coordenação Geral da Profª Maria Lana Monteiro (UPE-FCAP).

Nesta segunda edição, damos continuidade ao projeto de indissociabilidade da extensão, pesquisa e ensino no componente de Sociologia. O objetivo geral é realizar processo continuado de ensino aprendizagem e de atualização curricular, através de seminários abertos e híbridos que são construídos de modo colaborativo com estudantes, docentes e convidados. 

A programação foi pensada a partir de contribuições feitas por turmas anteriores, atividades de ciclos de leituras e provocações acerca do ano do bicentenário da emancipação política do Brasil, com o objetivo de vivenciar um exercício crítico para repensar as ciências sociais aplicadas, os estudos organizacionais e as encruzilhadas de diferentes culturas (indígenas, tradicionais e acadêmicas), bem como, mobilizar novas produções e trocas de conhecimentos, que experimentem a imaginação sociológica para além dos muros da universidade. 

As atividades iniciaram ontem (03), com uma roda de diálogo às 19h, no formato on-line através da plataforma Even3, para abordar a temática “Povos Tradicionais e Indígenas - Perspectivas para Estudos Organizacionais”, com Whodson Silva (UFMG). Já hoje (04), às 8h, aconteceu a roda de diálogo presencialmente na FCAP, para debater sobre Administração Sociológica, com Eduardo Gonçalves (UPE-FCAP).

Docente da UPE campus Garanhuns publica artigo em Journal Internacional

 

Neste mês de outubro, o docente do Curso de Engenharia de Software da Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Garanhuns, e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Computação (PPGEC), Professor Dr. Ivaldir de Farias Junior, publicou um artigo científico no renomado Journal Empirical Software Engineering da Springer com Qualis A1.

O artigo intitulado “C2M: a maturity model for the evaluation of communication in distributed software development” apresenta importantes resultados sobre a utilização de um modelo de maturidade sobre comunicação em projetos com equipes distribuídas geograficamente.

A pesquisa foi coordenada pelo Prof. Dr. Ivaldir Farias e desenvolvida em parceria com os colaboradores Sabrina Marczak (PUCRS), Rodrigo Santos (UNIRIO), Cleyton Rodrigues (UPE), Hermano de Moura (CIN-UFPE).

Clique AQUI para acessar o artigo publicado.

UPE faz reunião com representantes da ANPG

 

A Reitora da Universidade de Pernambuco (UPE), Profª Socorro Cavalcanti, recebeu hoje Vinícius Soares (Presidente da  Associação Nacional de Pós-graduandos – ANPG), que apresentou o Plano Emergencial Anísio Teixeira, para reconstrução nacional através da ciência, com o objetivo de incentivar a formação, retenção e fixação de pesquisadores em todo o território nacional.

Estiveram presentes também o Prof. José Roberto e os representantes da ANPG: Cassio Borges (Tesoureiro), Natalia Trindade (Diretora de Direitos) e Elvis Arruda (Diretor de Universidades Estaduais e aluno da UPE). O Plano faz referência ao Anísio Teixeira, fundador e primeiro presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Professor da UPE é convidado pela Embaixada da Alemanha e participa do evento Indústria 4.0 – Digitalização da Economia

O cientista e professor da Universidade de Pernambuco (UPE), Carmelo Bastos Filho foi convidado pela Embaixada da Alemanha e representou o Brasil no “Industry 4.0 – Digitalization of the Economy” (Indústria 4.0 – Digitalização da Economia), entre os dias 25 de setembro e 1 de outubro.

À frente da Diretoria de Ambiente de Inovação e Formação Superior da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (SECTI), o docente apresentou ações desenvolvidas pela gestão local, com todas as despesas pagas pelo governo alemão. 

O encontro reuniu representantes de universidades, governos e empresas do país-sede, além do Chile, Austrália, Estados Unidos, Espanha, Grécia, Hungria, Grã-Bretanha e Paquistão. Do Brasil, só Pernambuco foi convidado. 

Leia mais...

Plataforma Brazucacia é criada em parceria com departamento de Engenharia da Computação da UPE

 

Essa é a proposta da plataforma digital democrática brazucracia.org criada por um time de brasileiros, franceses, italianos, chilenos, americanos e britânicos que trabalham no Centro de Aprendizado Coletivo da Universidade de Toulouse e do departamento de Engenharia da Computação da Universidade de Pernambuco (UPE).

Brazucracia ajuda os cidadãos a criarem o seu próprio plano de governo usando as propostas extraídas dos principais candidatos da eleição brasileira presidencial de 2022, segundo as pesquisas mais recentes. Através da criação desse programa colaborativo, poderemos observar as propostas aceitas pela maioria da população e aquelas mais controversas. As ideias que são extremamente apoiadas por um grupo podem ser as mesmas que são extremamente rejeitadas por outro grupo. Identificar consensos e discordâncias entre as propostas políticas pode trazer clareza e conversas construtivas entre a população, os candidatos e o governo.

Desde 2019, o time Brazucracia desenvolve várias plataformas de participação cívica e digital em diversos países, incluindo França, Chile e Líbano. O grupo de pesquisadores usa os dados coletados pela plataforma para explorar questões sobre teoria da escolha social com ramificações em matemática, sobre como eleições podem ser justas e efetivas e como plataformas podem ser criadas para incentivar participação cívica fluída. Nós podemos fazer mais como cidadãos do que votar?

Brazucracia não pretende apoiar nenhum candidato, partido ou representação. Brazucracia é uma plataforma aberta à participação coletiva que implementa ao máximo a imparcialidade em sua concepção e desenvolvimento. A plataforma é aberta e democrática para que os interessados construam juntos um plano de governo elencando suas preferências e prioridades.

O projeto foi aprovado pelos comitês de ética pela Universidade de Toulouse (Instituto de Estudos Avançados) na França e pela Universidade de Pernambuco no Brasil.

Participe você também da plataforma Brazucracia no link: brazucracia.org