1xbetm.info Betturkey betist kralbet supertotobet Tipobet matadorbet mariobet bahis giriş tarafbet sahabet
Projeto de Doação de Corpos - Universidade de Pernambuco

PROGRAMA DE DOAÇÃO DE CORPOS

 

 

  Formulário de Inscrição

Termo de Intenção em Doar o Corpo

Termo de Dação de Corpo de Membro da Família

Termo de Consentimento - Doação de Corpo - ICB Recife

Termo de Consentimento - Doação de Corpo - Campus Petrolina

 

CONTATOS

Telefones:

(81) 3184-1300

(81) 3184-1242 (Laboratório de Anatomia)

(87) 3866-6496 (Petrolina e Região do Vale do São Francisco)

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Instagram: @doacaodecorpos.upe

Facebook: Programa de Doação de Corpos UPE 

        

A anatomia humana é descrita como uma das disciplinas mais antigas no campo da Biologia, sendo um componente indispensável para formar futuros profissionais de saúde. Para isto, a dissecação apresenta-se como a forma mais eficaz de se estudar o corpo humano, sendo um método antigo, datado por volta de 500 a.C. pelos gregos, embora alguns autores afirmem que os egípcios foram os primeiros a realiza-la.

Através da dissecação é possível visualizar estruturas e funções dos órgãos, bem como os sistemas que compõem o corpo humano. Entretanto, a disponibilidade de corpos humanos para estudo pelas faculdades de ciências médicas e biológicas tem sido limitado, tornando-o escasso com o passar dos anos, mesmo com a autorização da lei 8.501 de 1992 a qual designa corpos humanos não reclamados pelas suas, respectivas, famílias a serem doados as faculdades de cursos de saúde.

Alguns fatores são considerados como os causadores desta ausência como o desenvolvimento socioeconômico, ocasionando uma diminuição no quantitativo de corpos não declarados (indigentes); e a relação, inversamente proporcional, entre o aumento do número de instituições de ensino superior e a diminuição da disponibilidade de corpos cadavéricos para estudo. Desta forma, o aprendizado com esta ferramenta de ensino, tem afetado, diretamente, a qualidade da assimilação dos conteúdos pelos estudantes, sendo substituídos por modelos artificiais que, cientificamente e pedagogicamente, não suprem a falta de corpos humanos, apenas o complementam.

Assim, o Programa de Doação de Corpos da UPE: “Doar para Viver” surge em 2020 a partir da necessidade de manter o acervo de corpos humanos para o ensino, pesquisa, extensão e treino cirúrgico da Anatomia Humana no Instituto de Ciências Biológicas da UPE, em Santo Amaro, Recife, Pernambuco. O programa está sob a coordenação dos professores Dr. Joaquim Celestino e MsC Edivaldo Xavier, os quais, naquele ano, deram início as atividades da proposta com a orientação de um estudante de Iniciação Científica. O estudo permitiu, aos coordenadores, a visão e as fragilidades que os estudantes da saúde tinham sobre a doação de seu corpo para estudos.

Em 2021, a proposta teve início com publicações, apenas, em redes sociais de ampla abrangência devido a situação pandêmica daquele momento, a fim de informar a população sobre a relevância e importância de doar o seu corpo para a ciência. Com isto, o projeto foi financiado pelo edital de extensão, da Pro-reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), o qual permitiu a participação de 51 estudantes extensionistas. Com a situação pandêmica controlada, foi possível realizar a divulgação e eventos presencialmente com os estudantes extensionistas e a sociedade, tanto a acadêmica como a geral.

Assim, em 2022, realizou-se o Primeiro Culto Ecumênico na capela do Hospital Oswaldo Cruz, no qual houve a participação de estudantes, funcionários, docentes responsáveis pelo programa, doadores e pacientes, com o objetivo de agradecer a todos os doadores em vida, aos que já partiram e ao cadáver desconhecido pela sua grande contribuição ao ensino da Anatomia Humana.

Em novembro de 2022 realizou-se uma ação no Parque Treze de Maio, em plena semana universitária, com o objetivo de divulgar e conseguir novos doadores em vida para o programa. Esta ação, foi considerada pelos organizadores e coordenadores, de grande sucesso, pois não apenas foi possível conseguir relatos de possíveis doadores, como também a inscrição de novos doadores de corpo em vida, permitindo que o programa crie raízes na região e sirva de base para a expansão para os demais Campi da UPE que possuem cursos de saúde e necessitam da capitação de corpos humanos.

Doando o corpo, o doador ajuda ao desenvolvimento de novas técnicas cirúrgica, a compreensão de doenças, o conhecimento aprofundado do corpo humano e ajuda no avanço de pesquisas médico-científicas, a fim de melhorar a vida de um outro alguém e até mesmo de um próprio ente querido.

“Doar é um ato de afeto, amor e carinho pelo próximo!”

 

BENEFÍCIOS OBTIDOS COM A DOAÇÃO DE CORPOS

  • Auxilia no desenvolvimento de novas técnicas cirúrgicas, mais eficiente e menos invasivas, que poderão vir ajudar na saúde de um ente querido;
  • Contribui com a descoberta de novas patologias;
  • Permite que profissionais da saúde tenham uma formação mais realista com o seu dia a dia profissional;
  • Permite o desenvolvimento de pesquisas médico-científicas;
  • Possibilita o conhecimento e o estudo, aprofundado, das variações anatômicas importantes para procedimentos cirúrgicos;
  • Colabora com as pessoas interessadas em doar o seu corpo para ciência, devido ao respeito ético e legal no ensino e no treino cirúrgico;
  • Coopera com a formação ético-humanística do futuro profissional da saúde.

 

O QUE DEVO FAZER PARA DOAR O MEU CORPO PARA A CIÊNCIA?

Todos os interessados em doar o seu corpo para a ciência, deve procurar o responsável pelo projeto na Universidade de Pernambuco em um de seus Campi, que possuem cursos de saúde, e solicitar as orientações para que possa ser um doador.

 

Para ser doador, faz-se necessário:

  • ser maior de 18 anos;
  • gozar de pleno gozo das faculdades mentais e por livre e espontânea vontade desejar doar o seu corpo;
  • preencher o Formulário de Inscrição;
  • preencher o Termo de Intensão em Doar o Corpo registrado em cartório com assinatura de duas testemunhas em duas vias;
  • preencher o Termo de Consentimento registrado em cartório com assinatura de duas testemunhas em duas vias; e
  • cópia de um documento de identidade autenticada em cartório.

 

Caso haja interesse de doar o corpo de um familiar, ou indivíduo menor de 18 anos:

  • os pais e/ou responsáveis, deverão preencher o Formulário de Inscrição;
  • o Termo de Doação de Corpo de Membro da Família em via dupla, registrar em cartório;
  • o Termo de Consentimento em via dupla, registrar em cartório;
  • cópia de documento, reconhecida em cartório, da pessoa a doar o falecido.

 

De posse destes documentos, o interessado em doar o seu corpo, ou o corpo de um familiar ou de um menor de 18 anos, para a ciência deve leva-los, devidamente registrados em cartório, até o Campus da UPE em que deseja fazer sua doação. A partir desse momento, o interessado passa a ser um doador em vida e deve orientar, trabalhar os seus familiares sobre a sua decisão, para que quando houver o falecimento o seu corpo seja transladado a Universidade e não a um cemitério/crematório.

Diante desta atitude, o doador poderá contribuir grandemente com as ciências médicas, a fim de permitir que futuros profissionais estejam melhores qualificados para poder atender a população, inclusive poder melhorar a qualidade de vida de um ente querido seu.

“Doar é um ato de amor, afeto e carinho pelo próximo!”

 

EVENTOS

 

Fotos do Culto Ecumênico realizado na capela do Oswaldo Cruz.

 

   

Ação de Divulgação no  Parque Treze de Maio (11 e 12/11/22)

 

   

No último dia 09 de junho, teve início a primeira expansão do Programa de Doação Voluntária de Corpos da UPE no Campus Petrolina. O início do projeto foi marcado pela presença de estudantes dos cursos de saúde e das licenciaturas do Campus, Professora Iracema Hermes e um dos Coordenadores do Programa, o Professor Edivaldo Xavier.

Na ocasião, o coordenador falou sobre um breve histórico do projeto, sobre o motivo da criação da proposta, suas atividades, suas conquistas em um pouco mais de 2 anos de fundação e que naquele momento chegara ao Campus Petrolina com o objetivo de desmistificar o ato de sepultar, ou cremar o corpo, e informar a sociedade da região sobre a possibilidade de doar o corpo para a ciência. Além disso, o coordenador colocou os objetivos específicos do projeto, suas metas e como os estudantes iriam ser subdivididos.

Além disso, foi mencionado as parcerias que o projeto terá aqui na região do Vale do São Francisco com Instituições de Nível Superior Públicas e Privadas, as quais possuem o interesse em realizar atividades no Laboratório de Anatomia Humana da UPE-Petrolina. Os partícipes de Petrolina foram informados da participação nos dois eventos online que serão realizados com palestrantes, nacional e internacional, em data que será marcada em breve e que terá a participação de todos os integrantes de todos os Campi da UPE.

Ainda de acordo com o professor coordenador do projeto, “essa inovação no Campus é de grande valia, tendo em vista a possibilidade de se adquirir corpos humanos para que se possa promover aulas mais realistas aos estudantes dos cursos de saúde da UPE-Petrolina, bem como promover cursos de dissecação, atividades de extensão, receber visitas de instituições de ensino superior do Vale do São Francisco, bem como poder promover, através de parcerias, treinos cirúrgicos aos futuros médicos da região”.

“Doar é um ato de afeto, amor e carinho pelo próximo!”

 

 

O Projeto do Programa de Doação de Corpos (PDC) da UPE: "Doar para Viver" tem realizado atividades com o objetivo de desmistificar e informar a população da possibilidade de doar o corpo para a ciência, o que permite realizar estudos da Anatomia Humana de forma mais real, frente as necessidades que o futuro profissional da saúde precisará no seu dia a dia profissional.

Nesse sentido, no último dia 24 de novembro foi realizado, no Espaço Abigail Vitorino, o Culto de Ecumênico de Ação de Graças do PDC da UPE, com corpo presente, como agradecimento a todos os nossos doadores em vida, bem como ao nosso cadáver desconhecido, aquele que nos permite conhecer a anatomia de forma natural, real.

Na ocasião, contamos com a presença do Diácono Gustavo Rohte, o Pastor da Igreja Batista Joilson Alves, a Espírita Margareth Olinda e a mãe de santo Maria Stella Nunes. Cada representante religioso fez um comentário da visão de suas, respectivas, religiões sobre o ato do indivíduo doar o corpo em vida seguido de uma oração.

Para a discente Giselle Cristina, do curso de Fisioterapia e extensionista do projeto, “foi muito bom entrar em contato com outras religiões e entender um pouquinho de cada uma. Fico feliz em ter participado e ajudado hoje na organização". “Eu achei incrível a experiência, pois nunca tinha participado de algum culto ecumênico. Foi muito bom conhecer as outras religiões e ouvir o ponto de vista de cada um sobre a doação de corpos" relata a discente Laís Reis do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e extensionista do PDC da UPE.

Foi possível reunir dezenas de pessoas interessadas em ouvir a palavra de cada um representante, bem como funciona o PDC.

“A reunião de vários líderes religiosos para tratar de um assunto tão delicado, foi de grande relevância para a nossa proposta de projeto, bem como para os estudantes extensionistas. Doar é um ato de afeto, amor e carinho pelo próximo e quando casamos isto com a visão das religiões, percebemos que estamos no caminho certo para propormos aulas de Anatomia Humana mais realistas”, comenta o professor coordenador do projeto Edivaldo Xavier.

“Doar é um ato de afeto, amor e carinho pelo próximo!"

 

Imagens

   
     
     
     

 

 

 

Semana Universitária 2023 - Petrolina

 

Imagens

   

 

 

 

Semana Universitária 2023

Ações no Parque 13 de Maio e no Laboratório de Anatomia Humana do ICB/Recife.

 

Imagens